Implante

Implante anterior cone morse com coroa metalocerâmica.

Os implantes orais fazem parte do que temos de mais avançado na reposição de dentes perdidos.

Seu sucesso depende de inúmeros fatores que vão muito além da questão de ter ou não tecido ósseo suficiente para sua inserção. Cada paciente carrega junto a si informações particulares. Estas características implicam em traçar planos de tratamentos individualizados.

Traduzindo isso para a especialidade com implantes, temos que entender qual é o melhor implante para cada paciente; qual é o melhor momento de devolver o dente perdido. Parece que todos os implantes e tratamentos são iguais, mas não são ou não deveriam ser tratados como tal.

O caso abaixo é uma implantação imediata, pós-fratura radicular, onde em um mesmo tempo operatório foi extraída a raiz do dente e inserido um implante cone morse de desenho apropriado para a função estética requerida. A característica mais importante neste tipo de implante é de deixá-lo em média 2 mm infra ósseo, em um posicionamento mais para a região palatina e com tecido ósseo inter proximal presente para manutenção da papila inter dental.

Foto inicial pós implantação e com uma provisória adesiva:

Sem o provisório:

Com o transferente de moldagem:

Colocado o parafuso cicatrizador:

Coroa pronta para prova em modelo de gesso:

Fotos finais:

Rx final:

Compartilhar:

Prótese total superior e Overdenture inferior.

A reabilitação da arcada inferior com implantes para desdentados totais nos permite, basicamente, propormos aos pacientes duas formas de próteses sobre implantes, uma fixa e outra de encaixe.

Em ambos os casos, as próteses são confeccionadas na maioria das vezes no formato e material igual ao das próteses totais (dentaduras convencionais). O que se altera é a subestrutura que será feita.

No caso das Overdentures aparafusadas (fixas), a subestrutura está no interior da prótese, e nas de encaixe esta estrutura está aparafusada nos implantes localizados na boca, ficando apenas o encaixe do clipe de nylon preso na parte interna da Overdenture.

O caso apresentado abaixo exemplifica uma Overdenture de encaixe.

Foto inicial: Paciente usuário de duas próteses totais com desarmonia de linha de sorriso e com a inferior “solta”, sem condições de fixação. Foram planejados cindo implantes para confecção de Overdenture com fixação em clipe de nylon.

Foto interna da boca sem as próteses e com os implantes instalados:

Foto da barra de fixação da Overdenture aparafusada nos implantes:

Foto das duas próteses prontas:

Foto do clipe de nylon que fica parte interna da Overdenture:

Foto final das duas próteses em posição:

Sorriso final:

Este trabalho teve colaboração e execução por uma equipe que muito me orgulha de ter como parceiros, são eles:

CNG – Soluções Protéticas: www.cng.com.br – (conexões e attachments);

Laboratório Art’Ceram  / Tony / Tel.: 13 – 33011781 / email: otoniel.tpd@hotmail.com – (fundição da estrutura metálica);

Laboratório Duarte / Tel.: 13 – 3238-1021 – (montagem, acrilização e caracterização das próteses acrílicas);

Professor Tomaz Gomes  – www.protesetotalclonagem.com.br e João Batista de Lima que por natureza amam a arte de fazer próteses acrílicas e me inspiram a seguir em busca do algo a mais.

Compartilhar:

Próteses Totais.

Confecção de duas próteses totais com caracterizações em relação à posição dos dentes, cor e formato gengival.

O paciente tem dois implantes inferiores, onde a prótese inferior se prende por encaixe.

Foto inicial:

Próteses confeccionadas com diversas caracterizações diminuindo a impressão de ser uma dentadura. Notem a cor e formato do que seria o tecido gengival, dentes com diferentes alturas em relação a margem gengival, pequenos amarelados na região próxima ao término dos dentes, junto ao que seria a gengiva.

Foto das próteses confeccionadas:

Foto que indica à posição das fêmeas que serão encaixadas nos implantes que estão na arcada inferior do paciente:

Foto final com as próteses instaladas:

Compartilhar:

O Cuidado com os Pais.

Esta é uma das histórias, que cada um de nós, pode vivenciar ao longo de nossas vidas.

 

Trata-se de um paciente com 82 anos, portador de duas próteses totais (dentaduras) há mais de 10 anos, tempo esse, sendo meu paciente.

 

Porém já há algum tempo não conseguia alimentar-se com a prótese inferior. Há pelo menos 3 anos, eu vinha reembasando à prótese e buscando uma melhor fixação e estabilidade da mesma.

 

Apesar dos esforços, os resultados obtidos foram insuficientes, devido a uma extensa perda óssea em largura e altura. Com a dificuldade da mastigação, a vida de meu paciente foi ficando mais difícil.

 

Num idoso, já com sérias limitações físicas e emocionais, esse problema gerava uma maior deficiência nutricional e acentuava uma demência mental. Numa somatória de situações, a qualidade de vida desse paciente idoso, ficava bastante prejudicada.

 

O amor e a dedicação de uma das filhas desse senhor, fazia com que insistentemente tentasse melhorar seu estado geral. Ao levá-lo para um programa de fortalecimento muscular, na tentativa de fazê-lo andar novamente, obtiveram do profissional da área de educação física o entusiasmo para que tentassem também resolver a situação bucal do pai, já que seu aspecto sem o uso da prótese era de entristecer. Com a prótese o paciente poderia se alimentar melhor e também aumentar a auto-estima.

 

Já havíamos conversado outras vezes, sobre tentar um tratamento para fixação da dentadura inferior Pensamos numa alternativa bem simples em implantodontia. Fomos à busca dos exames necessários e a preparação da fase cirúrgica.

 

Apesar de a família mostrar-se muito preocupada com a situação geral do pai, tudo deu certo. Fizemos apenas dois implantes e colocamos a nova dentadura inferior presa por dois attachments em formato de bola, prendendo a prótese. Vejam em : https://www.edutavares.com.br/2011/01/proteses-totais/ .

 

A condição humana do paciente mudou. O entusiasmo de viver ficou estampado num sorriso de alguém que readquiriu parte de si. Lógico que existem outros fatores pontuais que o impedem de realizar algumas atividades, mas com a solução desse problema, pode voltar a se alimentar, falar, sorrir, e isso minimiza tudo, aumentando a esperança e a vontade de lutar.

 

Cabe aqui um elogio aos filhos, aqueles que realmente cuidam de seus pais, importam-se com seus semelhantes. Não se trata de vender a idéia da implantodontia como solução de todos os problemas. Poderia ser apenas uma cárie, o que importa é cuidar, tentar, ir atrás de soluções, fazer algo por aqueles que já deram de si. Há ainda muita gente tratando os idosos como uma ampulheta, que ao cair o último grão de areia, terminará sua jornada.

 

Claro que temos um destino a cumprir, mas temos também o direito de fazê-lo com dignidade.

Compartilhar: