Dentes

Banco de Dentes da USP.

Muita gente não sabe, mas a Universidade de São Paulo (USP) mantém desde 1992 um Banco de Dentes Humanos. A unidade, que fica na Cidade Universitária, depende da doação de hospitais, clínicas e unidades básicas de saúde que realizam extração dentária e também de pessoas. Daí a necessidade de conscientização da população.

 

Idealizado pelo professor da disciplina de Pediatria da Faculdade de Odontologia da USP, José Carlos Imparato, o Banco de Dentes é que possibilita o ensino e a pesquisa realizada pelos alunos de Odontologia da instituição, hoje cerca de 800.

 

O professor observa que pode ser doado qualquer dente, adulto, infantil ou mesmo de leite, e em qualquer estado, pois tudo é reaproveitado para os estudos. Os dentes extraídos nas clínicas da faculdade também ficam disponíveis no Banco de Dentes.

 

A falta de dentes acaba comprometendo os estudos desses alunos, pois, em média, cada aluno necessita de pelo menos 30 dentes por ano para ter um aprendizado satisfatório. Segundo Imparato, “é como a doação de órgãos, pois beneficia outros pacientes".

 

Em setembro deste ano, durante evento promovido pela Sociedade Brasileira de Pesquisas Odontológicas, será lançada a Associação Brasileira de Banco de Dentes, que tem como objetivo divulgar a importância da doação de dentes.

 

Ainda segundo o professor, atualmente, somente 10% das 193 faculdades da área odontológica no País possuem bancos de dentes estruturados.

 

A doação pode ser feita pessoalmente ou até mesmo pelo correio no seguinte endereço: Banco de Dentes Humanos da Faculdade de Odontologia da USP, Avenida Professor Lineu Prestes, 2.227, Cidade Universitária, SP, CEP 05508-900.

 

A unidade atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (11) 3091-7905.

 

Fonte: www.odontosites.com.br

Compartilhar:

Rafael Nadal e seus dentes do siso.

Em tentativa de conquistar um título de simples após dez meses de jejum, o espanhol Rafael Nadal se disse preparado nesta quarta-feira para iniciar a disputa do Masters 1.000 de Miami, torneio em que obteve dois vice-campeonatos, mas jamais foi campeão. Já acostumado a jogar com dores nos últimos anos, o número 4 do mundo tem uma nova nos Estados Unidos: no dente do siso.

 

Nadal afirmou que está com um dente inflamado, o que não deve lhe atrapalhar na disputa do segundo torneio Masters 1.000 da temporada. O desempenho em Indian Wells, onde foi campeão de duplas e parou na semifinal em simples, animou o espanhol.

 

Sobre as dores no dente, Rafael Nadal afirma que precisa se tratar, mas que isso será feito depois, uma vez que ele tenta o título de Miami e em seguida deverá ter uma semana antes de partir para a temporada do saibro europeu, a sua favorita.

 

“Eu tenho que tirar todos (dentes), mas não agora. Eu não treinei por alguns dias. Comecei a treinar na tarde de terça-feira. Espero que esteja melhor nos próximos dias”, disse Nadal.

 

Leia o artigo na íntegra.

 

Fonte: Uol.

 

http://esporte.uol.com.br/tenis/ultimas-noticias/2010/03/24/nadal-sente-dores-no-dente-do-siso-mas-mostra-otimismo-em-miami.jhtm

Compartilhar:

O Cuidado com os Pais.

Esta é uma das histórias, que cada um de nós, pode vivenciar ao longo de nossas vidas.

 

Trata-se de um paciente com 82 anos, portador de duas próteses totais (dentaduras) há mais de 10 anos, tempo esse, sendo meu paciente.

 

Porém já há algum tempo não conseguia alimentar-se com a prótese inferior. Há pelo menos 3 anos, eu vinha reembasando à prótese e buscando uma melhor fixação e estabilidade da mesma.

 

Apesar dos esforços, os resultados obtidos foram insuficientes, devido a uma extensa perda óssea em largura e altura. Com a dificuldade da mastigação, a vida de meu paciente foi ficando mais difícil.

 

Num idoso, já com sérias limitações físicas e emocionais, esse problema gerava uma maior deficiência nutricional e acentuava uma demência mental. Numa somatória de situações, a qualidade de vida desse paciente idoso, ficava bastante prejudicada.

 

O amor e a dedicação de uma das filhas desse senhor, fazia com que insistentemente tentasse melhorar seu estado geral. Ao levá-lo para um programa de fortalecimento muscular, na tentativa de fazê-lo andar novamente, obtiveram do profissional da área de educação física o entusiasmo para que tentassem também resolver a situação bucal do pai, já que seu aspecto sem o uso da prótese era de entristecer. Com a prótese o paciente poderia se alimentar melhor e também aumentar a auto-estima.

 

Já havíamos conversado outras vezes, sobre tentar um tratamento para fixação da dentadura inferior Pensamos numa alternativa bem simples em implantodontia. Fomos à busca dos exames necessários e a preparação da fase cirúrgica.

 

Apesar de a família mostrar-se muito preocupada com a situação geral do pai, tudo deu certo. Fizemos apenas dois implantes e colocamos a nova dentadura inferior presa por dois attachments em formato de bola, prendendo a prótese. Vejam em : https://www.edutavares.com.br/2011/01/proteses-totais/ .

 

A condição humana do paciente mudou. O entusiasmo de viver ficou estampado num sorriso de alguém que readquiriu parte de si. Lógico que existem outros fatores pontuais que o impedem de realizar algumas atividades, mas com a solução desse problema, pode voltar a se alimentar, falar, sorrir, e isso minimiza tudo, aumentando a esperança e a vontade de lutar.

 

Cabe aqui um elogio aos filhos, aqueles que realmente cuidam de seus pais, importam-se com seus semelhantes. Não se trata de vender a idéia da implantodontia como solução de todos os problemas. Poderia ser apenas uma cárie, o que importa é cuidar, tentar, ir atrás de soluções, fazer algo por aqueles que já deram de si. Há ainda muita gente tratando os idosos como uma ampulheta, que ao cair o último grão de areia, terminará sua jornada.

 

Claro que temos um destino a cumprir, mas temos também o direito de fazê-lo com dignidade.

Compartilhar:

Os dentes falam.

O dente pode ser mais uma das várias fontes que temos para obtenção de DNA, na condição in vivo. De acordo com o pesquisador da FOP, estudos posteriores serão feitos para avaliações das variáveis em relação ao tempo decorrido da morte, para também obter o DNA.

Nas condições in vivo existem outras formas mais accessíveis para obtenção do DNA como sangue, saliva, tecido muscular, cartilagens, porém em casos de acidentes onde os corpos estejam carbonizados, dilacerados ou em avançado estado de decomposição nem sempre há facilidade para obtenção do exame.

Um fato relevante é que em acidentes aéreos os dentes além de mostrarem-se preciosos para exames de identificação pessoal eles demonstram o que pode ter acontecido no acidente.

 

Neste último trágico acidente da Air France, uma revista de circulação semanal publicou que os dentes dos passageiros e tripulantes encontrados encontravam-se rosados, isto significa que houve hemorragia interna da polpa(nervo) do dente o que esta relacionado à típica morte por sufocação.

 

Provavelmente eles foram expostos subitamente ao ar rarefeito das camadas altas da atmosfera e a temperaturas de 60 graus negativos, perdendo os sentidos e morrendo rapidamente.

 

Ainda temos que aguardar o relatório final que encontra-se de forma provisória.

 

Veja em :http://www.avherald.com/h?article=41a81ef1/0037&opt=4608

Compartilhar:

A Maça do Amor e seus dentes.

Quem já não teve receio de dar uma boa mordida em uma maça do amor. Tradicionalmente este doce é para ter a casca "rompida" com pouco esforço dos dentes para então sentir o gosto da mistura da porção caramelada com o "azedinho" da maça, proporcionando uma sabor único.

 

Pois então, o que vemos em muitos lugares hoje em dia, é uma descaracterização do doce, aquela calda de açúcar muito dura podendo soltar dentes de dentadura, fraturar raízes dos dentes com coroas e soltar restaurações anteriores em resina.

 
 
Atento a uma reportagem sobre o doce, descobri que ele é genuinamente brasileiro. Uma família de imigrantes espanhóis é que a inventaram, e não para por aí, eles também foram os inventores do Churros recheado.
 
 
 
Incrível esta história, e ainda hoje comercializam seus doces em uma tradicional casa em São Paulo, cujo endereço e curiosidades está em www.casadochurro.com.br .
 
 
Compartilhar: