Orgulho!

“O orgulho dos pequenos consiste em falar sempre de si próprios; o dos grandes em nunca falar de si.
Voltaire”

“O homem modesto tem tudo a ganhar e o orgulhoso tudo a perder: é que a modéstia tem sempre a ver com a generosidade e o orgulho com a inveja.
Antoine Rivarol”

E agora José?

Como ficam aqueles elogios e carinhosas palavras que por algumas vezes ouvimos de nossos pais e educadores.

A tradução das palavras ao pé da letra é ainda mais pesada que as frases destes pensadores. Há em alguns dicionários sinônimos para a palavras orgulhoso como: presunçoso, pedante, soberbo e etc. Para a palavra orgulho seguimos com: alarde, soberba, ostentação e etc.

E para complicar ainda mais, o quinto pecado capital é: Soberba: manifestação de orgulho e arrogância.

Difícil entender e fácil de explicar. Desde que me conheço por gente faço uma conexão direta que após ações bem feitas, sentimentos positivos, dentre eles “orgulho”, eram sensações positivas e gratificantes pelo esforço empreendido naquela ação.

É um sentimento que te faz sentir com a sensação de dever cumprido. Não havia necessidade de comentar com o mundo o fato alcançado, não havia motivo para ter soberba, ou mostrar-se pedante frente aos acontecimentos.

Estes sentimentos de orgulho, para nós mortais e cidadãos deste país, é algo que se consegue graças a um esforço e superação, tem os ensinamentos de pais e educadores que te ajudaram a te formar como cidadão digno de merecer tal adjetivo.

É o que falta para a maioria das pessoas que estão envolvidas na direção deste país! É uma vergonha o que temos assistidos todos os dias!

Nunca me senti tão impotente frente a tantas coisas erradas que com um pouco de boa vontade poderiam ser resolvidas ou mais bem encaminhadas.

Compartilhar:

Como você será daqui a 50 anos?

Quanto a personalidade de uma pessoa muda entre o ensino médio e a aposentadoria?

A resposta depende se você está se comparando com os outros ou com o seu eu mais jovem.

Regra geral, no meio século que vai dos 16 aos 66 anos de idade, sua personalidade mudará, e com o tempo você se tornará emocionalmente mais estável.

Mas não se compare com os outros: As pessoas que são as mais estáveis emocionalmente entre seus colegas na juventude provavelmente continuarão sendo as mais estáveis à medida que envelhecem.

“Os rankings de traços de personalidade permanecem razoavelmente consistentes. As pessoas que são mais conscienciosas do que as outras aos 16 anos são mais conscienciosas do que as outras aos 66 anos. Mas, em média, todas se tornam mais conscienciosas, mais estáveis emocionalmente e mais agradáveis,” disse Rodica Damian, professora de psicologia da Universidade de Houston (EUA).

Leia o artigo na íntegra em: https://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=dos-16-66-voce-sera-mesma-pessoa-daqui-50-anos&id=12987&nl=nlds .

Compartilhar:

Sensor detecta mau hálito.

Você já colocou a mão à frente da boca para testar seu hálito antes de um encontro importante?

A solução para essa insegurança quanto ao próprio hálito está quase à mão, graças ao trabalho do professor Jun-Hwe Cha, do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul.

A equipe desenvolveu um sensor que detecta pequenas quantidades de gás sulfídrico  ou sulfeto de hidrogênio, que é o composto químico responsável pelo mau hálito ou halitose. Já existem sensores de sulfeto de hidrogênio, mas eles precisam de uma fonte de energia externa, de uma calibração precisa, têm baixa sensibilidade e demoram para dar o resultado.

Leiam o artigo na íntegra: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=sensor-detecta-mau-halito-minuto&id=12852&nl=nlds .

Compartilhar:

Correção do bordo incisal em resina.

Pacientes com bruxismo acabam desgastando e até mesmo fraturando dentes!

Para com os incisivos superiores e inferiores o mais comum é irem sofrendo pequenos “quebradiços” na região incisal.

Enquanto o paciente não for diagnosticado os traumas causados vão além dos desgastes dos dentes.

Leiam mais em : https://www.colgate.com.br/oral-health/conditions/bruxism/bruxism-signs-and-sympt .

Incisivos com o bordo incisal fraturado:

Incisivos restaurados:

.
Compartilhar:

A importância da vitamina D.

Sem indicações generalizadas, sem cápsulas que resolvam seus problemas, sem milagres…

Para quase tudo na vida, devemos pelo menos nos esforçar um pouco para que as coisas funcionem bem, e tanto na medicina quanto na odontologia este esforço se aplica, mesmo com todos os avanços tecnológicos e químicos.

Servem de exemplo estes dois posts sobre a vitamina D e reposição de cálcio para prevenção da osteoporose e do envelhecimento.

http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=suplementos-calcio-vitamina-d-nao-protegem-contra-fraturas&id=12522&nl=nlds

http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=envelhecimento-saudavel-varia-pais-pais-vitamina-d-se-destaca&id=12457

Percebam que sempre caberá a nossa cota de obrigações e cuidados.

Compartilhar:

A tecnologia está acabando com a nossa saúde!

Muito bom este post do Henrique Szklo em que divertidamente nos faz refletir sobre o conforto de não fazer mais quase nada do mesmo jeito que fazíamos a pelo menos 20 anos atrás.

A tecnologia a serviço do homem!

E fica claro que se gastamos menos energia para nos movimentarmos, precisamos também rever nossos hábitos cotidianos para esta novo formato de vida.

Veja aqui: https://henriqueszklo.blogosfera.uol.com.br/2018/01/02/a-tecnologia-esta-acabando-com-a-nossa-saude/ .

Compartilhar:

A sensibilidade dentária está mais presente na clínica diária.

É verdade, cada vez há um número maior de pacientes com queixa de dor dentária por conta da sensibilidade dentária.
As principais causas da sensibilidade são:

1.> Dieta rica em alimentos e líquidos com pH ácido. Frutas, refrigerantes, isotônicos, bebidas alcoólicas, alguns alimentos com temperos ou condimentos ácidos. Não confundir algo doce ou mesmo no ponto certo do sal, não tendo um pH ácido;

2.> Higiene bucal inadequada. A placa bacteriana tem poder de causar erosão dentária justamente na área cervical do dente. Área esta que tem a menor espessura de esmalte na coroa do dente e está mais próxima do tecido dentinário que age como condutor dos estímulos externos para a polpa;

3.> Escovas duras e pastas de dentes abrasivas. Muito cuidado, as oportunidades são inúmeras hoje em dia, e mesmo com selos de garantia de entidades odontológicas, nem todas as escovas e pastas servem para todos os pacientes. Cabe ao seu dentista esta indicação e informação;

4.> Dentes quebrados e fissurados. Com certeza se você colocar seus dentes sobre uma forte fonte de luz perceberá linhas de trinta na face externa dos dentes. Com o tempo, o esmalte dentário vai sofrendo com o que comemos e bebemos. Estas fissuras podem em alguns casos aumentar a penetração de tudo aquilo que ingerimos e aumentar a chance de termos sensibilidade dentária.

5.> Bruxismo. Como no parágrafo anterior, o bruxismo também pode causar trincas e fissuras nos dentes. Pode até mesmo causar fratura do dente. A pressão do ato de ranger ou mesmo apertar os dentes desorganiza as fibras do ligamento periodontal, local onde o dente se sustenta em contato com o osso. Há também uma pressão maior sobre os túbulos dentinários que mantém nosso dente vivo, podendo causar dor por pressão interna sobre a polpa.

6.> Troca de restaurações e clareamentos dentários. A maioria dos materiais empregados na atualidade requerem cimentação adesiva. Há necessidade de empregarmos algumas substâncias necessárias para um correta colagem da resina ou da cerâmica que podem gerar sensibilidade temporária. Quanto aos agentes clareadores, os produtos estão cada vez mais voltados a segurança do controle da sensibilidade, mas se você já tem sensibilidade e pretende clarear os dentes, é necessário um tratamento coadjuntante ou preliminar ao uso de clareadores caseiros ou no próprio consultório.

Os sintomas da sensibilidade dentária são muito parecidos, bem como o plano de tratamentos. Cabe ao profissional padronizar uma conduta de tratamento atrelada aos agentes causadores da sensibilidade.

Compartilhar:

Vantagens do uso do fio dental.

Ao contrário do que muita gente pensa, o fio dental não serve apenas para retirar restos de alimentos entre os dentes. Ele tem outra função muito importante: remover o biofilme, uma camada invisível de bactérias que se forma em locais onde a escova de dente não alcança.

Leia o artigo na íntegra em: https://noticias.uol.com.br/saude/publieditorial/colgate-2016#/2016/colgate/tudo-sobre-o-uso-e-as-vantagens-do-fio-dental-esse-aliado-indispensavel-da-sua-saude/ .

Compartilhar:

Coroas anteriores em cerâmica feldspática / Metal free.

Reabilitação anterior com coroas totais em cerâmica sem metal. Foi utilizada a cerâmica feldspática para maior caracterização estética pois, optou-se pela manutenção da cor natural dos dentes inferiores como guia onde representasse a idade do paciente.

Foto inicial:

Preparos prontos:

Fotos finais:

Compartilhar:

Fechamento de diastema com lente de contato cerâmica.

O caso a seguir mostra como os fragmentos cerâmicos podem beneficiar os tratamentos estéticos, mesmo quando necessitamos atender apenas a uma demanda clínica.

Neste caso, executei apenas a resolução da queixa principal do paciente que era a de fechar o diastema entre os incisivos centrais superiores. Foram conservados os dentes envolvidos, bem como os adjacentes, sem alteração de cor e alinhamento do segmento.

Tratamentos assim acabam sendo mais desafiadores, pois existe uma necessidade maior de harmonização de um “pedaço” do segmento anterior.

Fazer o artificial parecer natural.

Imagem com as resina desgastadas em posição e de forma insatisfatória, tanto em sua estrutura como na permanência do diastema.

Imagem com a retirada das resinas, evidenciando o diastema natural.

Imagens da parte laboratorial, onde incluem o modelo de gesso e as duas lentes em posição e soltas.

Imagem do caso concluído.

Compartilhar:

Fita anestésica para procedimentos mais simples.

Os dentistas são os únicos, os quais são todos os pacientes que se sentem confortáveis ​​ao se submeterem aos cuidados odontológicos. Porém, um produto desenvolvido em laboratórios da USP em Ribeirão Preto prometendo minimizar aquela aflição da picada de agulha para anestesia bucal. Trata-se de uma fita adesiva que, assim como uma libertação do anestésico.

Foram analisados ​​os resultados dos ensaios clínicos dos pesquisadores dentários e enfim, uma equipe de pesquisadores das Faculdades de Ciências Farmacêuticas (FCFRP) e da Odontologia (Forp), ambas da USP em Ribeirão Preto, chegou a um filme mucoadesivo anestésico, Uma espécie De fita como um esparadrapo biocompatível e biodegradável. É uma empresa com baixo custo, uma hidroxipropilmetilcelulose (HPMC), um derivado de celulose vegetal bastante utilizado nas áreas farmacêuticas, cosmética e de alimentos.

Conta René Oliveira do Couto, grupo farmacêutico e integrador do grupo, que obtém os desafios como um tratamento adequado à saúde, região da boca com superfície de área pequena e bastante irregular, onde é administrado a anestesia. Para tanto, os “filmes são produzidos com espessura ideal e dimensão, flexibilidade e resistência mecânica adequadas para administração na mucosa”.

O pesquisador adianta que faltam ainda os estudos para a confirmação de filmes e mucoadesivos como substitutos das injeções de anestesias, principalmente em cirúrgicos mais invasivos e complexos. Ele afirma, entretanto, que o produto pode ser efetivo em microcirurgias, extração de dentes de leite em crianças e raspagem e curetagem dental em adultos.

Leia o artigo na íntegra em: http://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-da-saude/fita-anestesica-criada-na-usp-e-aliada-contra-o-medo-de-dentista/ .

Fonte: Jornal da USP .

Compartilhar:

WHO e o alerta sobre bactérias que necessitam de novos antibióticos.

Algumas bactérias estão se tornando resistentes a antibióticos e representam uma ameaça particular em hospitais, casas de repouso e para pacientes acometidos não só pelas infecções causadas por elas, bem como pacientes com alguma fragilidade imunológica.

Elas podem causar infecções graves e muitas vezes mortais, como infecções da corrente sanguínea e pneumonia.

Leiam o artigo em: http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2017/bacteria-antibiotics-needed/en/ .

Compartilhar:

União Européia proíbe o uso do amálgama para crianças e mulheres grávidas.

A União Europeia proibiu obturações com amálgama em crianças com menos de 15 anos e em mulheres grávidas e lactantes, a partir de 1º- de julho de 2018.

O acordo provisório saiu em reunião de cúpula que reuniu a UE, Comissão Europeia e o Conselho da União Europeia realizada em dezembro último. A proposta deve ser aprovada pelo Parlamento e pelo Conselho e é parte de uma iniciativa mais ampla para a implementação dos objetivos da Convenção de Minamata, que visa diminuir a utilização e libertação de mercúrio para o ambiente. Cada membro deverá definir plano nacional o modo como irá reduzir o uso do amálgama.

Na União Européia, o amálgama libera até 75 toneladas de metal pesado muito tóxico anualmente. Apesar da Comissão Europeia considerar a amálgama das obturações segura para os pacientes, especialmente quando encapsulada na boca, estudos têm mostrado que as amálgamas dentárias podem causar envenenamento por mercúrio em populações geneticamente suscetíveis.

No Brasil, houve intensa movimentação, a favor e contra o uso do amálgama na odontologia, assunto que continua em debate até hoje.

Leiam mais em: http://www.jornaldosite.com.br/materias/saude/anteriores/edicao214/saudeagosto2015-8.htm .

Compartilhar:

Adesão Cerâmica.

Leiam a matéria na íntegra da revista PróteseNews onde comprovadamente protocolam os meios químicos responsáveis pela adesão das cerâmicas nesta grande revolução na arte de se restaurar os dentes.

São os fragmentos cerâmicos, quando bem empregados, que tem substituído quase que na totalidade os materiais resinosos.

São tantas as variáveis para se tornar um trabalho resistente e a preparação da cerâmica para sua adesão ao dente, tem também, suas características particulares.

http://www.inpn.com.br/ProteseNews/Materia/Index/132781?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=%28INPN%29+Ades%E3o+%E0+cer%E2mica%3A+os+caminhos+para+o+sucesso+cl%EDnico

Compartilhar:

A Periodontia e a Implantodontia.

Leiam este brilhante post sobre a integração dos implantes na odontologia e suas implicações.

As considerações que o Dr. Marco Bianchini faz, fortalecem ainda mais a conduta de todos os que ainda estudam e buscam uma resolução para os problemas bucais, independente dos modismos e de um ganho financeiro maior e mais rápido.

Leiam aqui: http://www.inpn.com.br/Materia/SextaBianchini/132668 .

Como periodontista, implantodontista e protesista, o que não podemos perder de vista é o bom senso em manter ou condenar um dente. Quais são as alternativas de reabilitação onde podemos incluir implantes e restaurações e próteses tradicionais?

Se de um lado condenam-se dentes para inserir implantes, do outro se aboli as restaurações de resina ou metal pelos fragmentos cerâmicos. Pensamos em preservar mais o tecido dentário e ao mesmo tempo condenamos dentes acometidos por doença periodontal.

Para os pacientes que tem doença periodontal, cabe relembrar o pensamento que em periodontia há uma divisão de responsabilidade e cuidados. A parcela é de meio a meio para profissional e paciente, não há milagre, a conduta da manutenção da saúde periodontal é executada pelo paciente no seu dia a dia através do controle da placa bacteriana. Há necessidade ainda das consultas para averiguação do estado bucal.

É fato que depois de tantos anos clinicando, a visão que tenho é a de que os pacientes que comparecem de duas a três vezes por ano em consulta, tem menos problemas de saúde bucal. E quando tem, são em geral de fácil resolução.

Como em outras áreas, algumas condutas profissionais são ladeadas em observações pessoais e podem gerar diferentes opiniões quando são confrontadas por mais de um profissional.

O bom senso e a troca de opinião com seu paciente é o que deve prevalecer para se indicar ou não a remoção e inclusão de dentes e implantes, respectivamente.

Compartilhar: