O Cuidado com os Pais.

Esta é uma das histórias, que cada um de nós, pode vivenciar ao longo de nossas vidas.

 

Trata-se de um paciente com 82 anos, portador de duas próteses totais (dentaduras) há mais de 10 anos, tempo esse, sendo meu paciente.

 

Porém já há algum tempo não conseguia alimentar-se com a prótese inferior. Há pelo menos 3 anos, eu vinha reembasando à prótese e buscando uma melhor fixação e estabilidade da mesma.

 

Apesar dos esforços, os resultados obtidos foram insuficientes, devido a uma extensa perda óssea em largura e altura. Com a dificuldade da mastigação, a vida de meu paciente foi ficando mais difícil.

 

Num idoso, já com sérias limitações físicas e emocionais, esse problema gerava uma maior deficiência nutricional e acentuava uma demência mental. Numa somatória de situações, a qualidade de vida desse paciente idoso, ficava bastante prejudicada.

 

O amor e a dedicação de uma das filhas desse senhor, fazia com que insistentemente tentasse melhorar seu estado geral. Ao levá-lo para um programa de fortalecimento muscular, na tentativa de fazê-lo andar novamente, obtiveram do profissional da área de educação física o entusiasmo para que tentassem também resolver a situação bucal do pai, já que seu aspecto sem o uso da prótese era de entristecer. Com a prótese o paciente poderia se alimentar melhor e também aumentar a auto-estima.

 

Já havíamos conversado outras vezes, sobre tentar um tratamento para fixação da dentadura inferior Pensamos numa alternativa bem simples em implantodontia. Fomos à busca dos exames necessários e a preparação da fase cirúrgica.

 

Apesar de a família mostrar-se muito preocupada com a situação geral do pai, tudo deu certo. Fizemos apenas dois implantes e colocamos a nova dentadura inferior presa por dois attachments em formato de bola, prendendo a prótese. Vejam em : https://www.edutavares.com.br/2011/01/proteses-totais/ .

 

A condição humana do paciente mudou. O entusiasmo de viver ficou estampado num sorriso de alguém que readquiriu parte de si. Lógico que existem outros fatores pontuais que o impedem de realizar algumas atividades, mas com a solução desse problema, pode voltar a se alimentar, falar, sorrir, e isso minimiza tudo, aumentando a esperança e a vontade de lutar.

 

Cabe aqui um elogio aos filhos, aqueles que realmente cuidam de seus pais, importam-se com seus semelhantes. Não se trata de vender a idéia da implantodontia como solução de todos os problemas. Poderia ser apenas uma cárie, o que importa é cuidar, tentar, ir atrás de soluções, fazer algo por aqueles que já deram de si. Há ainda muita gente tratando os idosos como uma ampulheta, que ao cair o último grão de areia, terminará sua jornada.

 

Claro que temos um destino a cumprir, mas temos também o direito de fazê-lo com dignidade.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *